Ser padre é uma vocação – Por Dom Jaime Pedro Kohl

04/08/2016

IMG_1180-195x300111111111Agosto para nós católicos é o mês vocacional. A primeira semana é dedicada a vocação sacerdotal, pela memória de São João Maria Vianei  padroeiro dos párocos. Cada um de nós tem dentro de si, a partir das experiências, encontros e prática cristã uma ideia de padre.

 Alguns exageram colocando-o numa condição de super-homem, santo, sagrado, justamente pelo fato de lidar com o sagrado. Outros o desprezam, ignoram, detestam, talvez pelo mesmo motivo e porque sua presença pode ser incômoda.

Quem nos conhece mais de perto sabe que somos pessoas comuns, viemos de uma família comum, temos limites, falhas, pecados, mas temos boa vontade e um único objetivo: servir a Deus e aos irmãos com o que somos e temos, buscando o Reino de Deus junto com nossas comunidades, na fidelidade ao estado de vida e a vocação que assumimos.

 Digo sempre aos nossos seminaristas que para ser padre não basta ser boa pessoa e querer, pois não é uma profissão. Essa vocação é a pessoa que escolhe impendentemente das aptidões que tem. Ser padre é uma vocação, um chamado de Deus, ser escolhido. Portanto, necessita de um profundo discernimento feito na oração, analisando e pesando muito bem se a pessoa tem as condições humanas, psicológicas e espirituais para manter fidelidade às exigências do estado de vida e missão que assume.

O padre é escolhido gratuitamente por Deus através de mediações, as mais variadas possíveis, e na liberdade, movido pelo espírito de amor feito serviço, responde positivamente colocando-se totalmente a disposição da Igreja e sua missão no mundo.

Se, por um lado, não basta boa vontade, por outro, ninguém chega a ser padre e perseverar na vocação sem força de vontade, sem oração, disciplina e determinação.

Uma vez, até podia acontecer de que alguém optasse pelo sacerdócio por questão de status e financeira. Hoje, não mais. Passou o tempo em que o padre falou tá falado. Nós, também, precisamos conquistar nosso espaço se queremos ser ouvidos. Nossa credibilidade não vem pelo fato de termos sido ordenados, mas pela coerência e autenticidade de vida.

Segundo o Evangelho deste Domingo, a vida não consiste na abundância de bens materiais e que onde está o nosso tesouro, aí estará também nosso coração.

O padre somente se realiza e ajudará muitas pessoas a se realizarem se tem como tesouro Cristo Jesus e se seu coração for abitado por uma única preocupação: fazer a vontade do Pai.

Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo de Osóriodomjaimep@terra.com.br