RS confirma 58 casos de dengue e se mobiliza contra o Aedes aegypti

12/02/2016
Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini

Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini

As primeiras seis semanas de 2016 registraram cinco vezes mais casos de dengue confirmados do que o mesmo período do ano passado. Dos 701 casos notificados, 58 foram confirmados, dos quais 22 somente na semana entre 7 e 12 deste mês. Das confirmações, 15 são autóctones (doença contraída no estado). Em 2015, foram 147 notificações, com 7 casos confirmados.

De acordo com o boletim epidemiológico apresentado na manhã desta sexta-feira (12) pelo secretário da Saúde, João Gabbardo dos Reis, o estado já soma 52 casos suspeitos de febre chikungunya, sem nenhuma confirmação, e, das 52 notificações do zika vírus, um caso foi confirmado. No RS, 180 municípios têm o mosquito: 19 já têm casos de dengue confirmados importados e 7 de dengue autóctones (Barra do Ribeiro, Guaíba, Ijuí, Panambi, Porto Alegre, São Paulo das Missões e Viamão). As regiões com as maiores taxas de infestação do mosquito são: Metropolitana, fronteiras Noroeste e Oeste, Celeiro, Noroeste Colonial e Alto Jacuí.

Durante a reunião semanal na sala de monitoramento RS contra o Aedes, o governador José Ivo Sartori reforçou a importância da união de todas na luta contra o mosquito transmissor da dengue, da chikungunya e do zika, especialmente neste sábado (13), quando ocorre o Dia D de Combate ao Aedes aegypti. “Quando está todo mundo junto, a tarefa fica mais facilitada. Esta hora é uma mobilização nacional. É um ato de muita união. É uma questão emergencial para salvar vidas”, afirmou.

O governador ressaltou o trabalho antecipado de prevenção coordenado pela Secretaria de Saúde e anunciou que o Comitê Estadual Intersetorial de Combate ao Mosquito Aedes aegypti, criado em dezembro de 2015, terá caráter permanente. O órgão conta com a participação de 13 secretarias estaduais, além da Federação das Associações dos Municípios do RS (Famurs).

Dia D

O secretário da Saúde afirmou que os 497 municípios do RS vão promover ações de conscientização para evitar a proliferação do mosquito neste sábado (13). A expectativa é mobilizar cerca de 60 mil civis e militares no estado para o trabalho de eliminação de locais com água parada, onde o inseto se reproduz.

Entre as medidas recomendadas está o envolvimento da comunidade auxiliando o trabalho e recebendo em suas residências os agentes que farão a vistoria dos locais e distribuirão materiais informativos sobre o mosquito e as doenças transmitidas pelo vetor. Segundo os dados da Vigilância Ambiental, 75% dos focos de mosquitos estão localizados em residências ou ambientes domésticos. A Secretaria da Saúde também solicitou aos municípios que coloquem à disposição maquinários e equipamentos, como veículos, caminhões e tratores, para a limpeza de áreas públicas e outros locais de acúmulo de lixo.

Cuidados para evitar o acúmulo de água, onde o mosquito pode se reproduzir:

– Fechar caixas d’água, tonéis e latões
– Limpar com escova os bebedouros de animais
– Guardar garrafas vazias com o gargalo para baixo
– Guardar pneus velhos sob abrigos
– Manter desentupidos ralos, canos, calhas, toldos e marquises
– Não acumular água nos vasos de plantas, substituindo por areia
– Colocar embalagens de vidro, lata e plástico em lixeiras fechadas
– Manter a piscina tratada
– Verificar se os ralos estão desentupidos e, se não estiver usando, deixar fechados ou com telas
– Observar a bandeja externa de água na parte de trás da geladeira.