Rejeitada proposta de audiência pública para discutir taxa da coleta de lixo em Osório

fvdvdSegue dando o que falar a polêmica taxa da coleta de lixo (TCL), na cidade de Osório.

Na noite dessa segunda-feira, (16), vereadores votaram contrários a ideia da bancada da oposição de discutir em uma audiência pública, o novo imposto cobrado neste ano.

O PMDB com seus quatro vereadores votaram a favor de ter a audiência, mas foram vencidos pela situação ( 4 – PDT – 1 – PP), tendo cinco votos.

Sugestões de mudanças na cobrança da taxa foram apresentadas pelos vereadores da situação e o caso deve continuar sendo discutido. Empresários ligados ao Centro Empresarial de Osório estiveram presentes na sessão da câmara manifestando suas posições contrárias a criação do novo imposto.

Nova taxa

Quem recebeu o carnê com o IPTU 2015 de Osório pode ter levado um susto. Agora, além do valor tradicional, já cobrado anualmente, também foi adicionada uma taxa para coleta de lixo (TCL) que será calculada conforme a metragem da área construída.

A polêmica lei foi aprovada pelos vereadores da situação em setembro de 2014, mas só agora acabou chamando a atenção da população, já que está pesando no bolso do contribuinte neste início de ano.

No centro da cidade, por exemplo, o IPTU de um imóvel ultrapassa os R$ 12 mil, sendo que mais de R$ 1 mil é referente a taxa do lixo, o que causou surpresa ao proprietário.

“É um absurdo. Não concordo com a forma utilizada para chegar ao valor. Utilizar a metragem do local para cobrar a taxa não é correta. Quantas casas em Osório que tem diversos moradores gerando um lixo enorme, mas que na prefeitura a metragem averbada não é nem perto do tamanho real do imóvel? Tem fiscalização para isto? No Brasil quem sempre acaba pagando o pato são os honestos”, finalizou.

Já Roger Caputi, vereador da oposição que votou contra o projeto diz que a população não pode ser afetada por problemas que o executivo não soube corrigir.

“A bancada do PMDB entende que a cobrança de taxa de lixo é um movimento contrário a população e por isso fomos contra no momento da votação. Não era necessário que a população fosse afetada se uma reforma administrativa eficaz tivesse sido programada. Desde a redução do orçamento não foi tomada nenhuma medida que reduzisse as despesas, como redução do uso de energia, combustível e hora extra. Antes de uma mudança que gerasse economia, para mostrar à população que está sendo feito um esforço para reduzir os custos, a taxa foi aprovada”, disse Caputi.

De acordo com Antão Sampaio, Assessor de Imprensa da Prefeitura de Osório, “hoje são recolhidos diariamente 50 toneladas de lixo na cidade. O investimento é de 140 mil mensais, somente para o recolhimento”. Com esta nova taxa a prefeitura espera arrecadar pouco mais de 2 milhões e 300 mil no Orçamento de 2015, precisamente R$ 2.338.664,45.

“O dinheiro será investido no pagamento do próprio serviço. Hoje a prefeitura gasta em torno de 4 milhões anuais somente com o lixo da cidade”, finalizou Sampaio.

Redação Litoralmania