Por um evangelho inteligente – Por Erica Matos

10/12/2016

Eu oro por um evangelho inteligente dentro das Igrejas. O evangelho de Jesus, descrito na Bíblia é um evangelho inteligente que não se contradiz e opera em sinais, maravilhas e poder. O que cansa a minha beleza e há muito tempo têm cansado é não conseguir associar dentro das Instituições religiosas um evangelho que faça sentido racionalmente, intelectualmente com um evangelho de poder. Explico melhor.

                O evangelho de Cristo é equilíbrio, é saúde pra mente e pro corpo, e, infelizmente o que vemos hoje são evangelhos extremistas que hora fazem sentido em relação à sentirmos algo “sobrenatural” em uma reunião, um culto, e hora fazem sentido racionalmente, intelectualmente (raramente). Uma verdadeira bagunça! Muitos amigos têm optado por permanecer em lugares onde é pregado um evangelho coerente, que faça sentido na forma teórica, mas não têm experimentado do evangelho poderoso e sobrenatural (aqueles que já provaram sabem do que estamos falando). E vejo pessoas que se movem apenas pela gritaria, profetadas, sentimentos, emoção (que alguns chamam de poder, sinais e maravilhas).

                Não me leve a mal, não estou sentada na minha cadeira julgadora e insana apontando o dedo e dizendo que Deus não está nestes lugares. Quando escrevo sobre isso e diga-se de passagem, é um assunto difícil de escrever, ainda mais por alguém que já foi machucada por um evangelho bagunçado e ignorante, escrevo pra tentar organizar o que muitos não conseguiram ainda organizar dentro de si, e por isso, morrem espiritualmente, por culpa, medo, por ligar a vida espiritual à uma Instituição somente, por sementes velhas e podres que foram plantadas em seu coração.

                Por muito tempo, por não concordar com essa bagunça dentro da Igreja, com convicções que eram/são pregadas , que não imagino Jesus acreditando nelas, resolvi me afastar de Instituições e alegava que o motivo era hipocrisia: “Porque permanecer em um lugar, com um determinado grupo de pessoas que não pensa da mesma maneira, não age da maneira que deveria, e, ainda falam em nome de Cristo? Seria hipocrisia da minha parte.” Lutei, relutei, e entendi que hipocrisia mesmo era fugir ou então me sentar e não fazer nada à respeito. Entendi que não vi Jesus em nenhum momento parado, reclamando ou então não ligando. Ele se importava. E, onde Ele estava havia equilíbrio, coerência. Ele falava sobre um evangelho (esquecido) que fazia total sentido e suas ações acompanhavam o que Ele dizia. É isso que falta.

                Outro dia um amigo me perguntou porque não experimentamos mais o que já experimentamos com Deus em uma simples reunião na Igreja, retiro, etc? Seriam tempos de “seca”? Eu não acho. Eu arrisco à dizer que Jesus se cansou da bagunça. Jesus cansou de ser convidado apenas na hora do apelo e depois ser expulso na hora da palavra ou das músicas incoerentes e egoístas. Jesus se cansou de chamarmos sua presença apenas nas reuniões da Igreja e nos outros dias da semana em casa ou no trabalho, nem lembrarmos quem Ele é.

                Eu faço parte da geração que questiona, que pensa, que não aceita mais um “porque não” ou “porque sim” como resposta. E não, não chame essa geração de “mimimi”, você crente, faz parte dela. Você deve à sua geração amor e compreensão e deve também, uma posição. Não seja um homem ou mulher das cavernas, que não abre mão de jeito algum do evangelho ignorante que você interpretou ou que foi interpretado erroneamente e passado à você. Não seja um hipócrita. Pense mesmo se Jesus era inflexível, irredutível? Nem com Judas Ele foi.

                 Ore por um evangelho equilibrado que faça sentido na base, nas estruturas, naquilo que anuncia todos os domingos e durante os outros dias da semana. Ore por um evangelho que carregue os passos de Jesus na íntegra, com sinais, maravilhas, milagres, cura! Ore por um evangelho que liberta a sua mente e não aprisiona você e sua descendência em uma caixa por mais 500 anos. Ore pra que nas Igrejas encontremos um evangelho inteligente, coerente e digno.

“Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” – Romanos 12:2

Erica Matos é membra e responsável pela Comunicação na IBFO.