Os mais iguais – Por Jayme José de Oliveira

23/02/2016

Jayme José de OliveiraA lei, para ser justa, tem e se espelhar na figura da deusa Têmis da justiça, olhos vendados para não ser influenciada pela identidade do indiciado e pratos isonômicos para julgar com equilíbrio. SEMPRE!

JUSTIÇA

O que se escancara no Brasil? Tentativas de remeter para as calendas gregas, retornar às primeiras instâncias, engavetar ad aeternum ou pior: questionar asa evidências com firulas jurídicas ou desqualificar o delator e seus depoimentos atingem os incomodados. Quando apontam adversários transmutam-se certamente em provas irretorquíveis.

O entregador de valores Carlos Alexandre de Souza Rocha, conhecido por Ceará, disse, na gravação em vídeo de sua delação premiada que Aécio Neves era o “mais chato” na cobrança de propinas junto à empreiteira UTC. (Zero Hora, 22/01/2.016)

O relatório com mais de 80.000 páginas filtradas pela PF a partir de mensagens nos celulares de Léo Pinheiro, presidente da OAS inclui, além do ex-presidente Lula, o senador Agripino Maia DEM – RN), o deputado Rodrigo Maia (DEM – RJ) e o deputado Jutahy Júnior (PSDB – BA). Pode haver outros.

Vozes iradas elevam-se partindo de TODOS os mencionados e se repetem em todas as referências. SEM EXCEÇÕES. Os mais indignados: Aécio Neves e Lula. O ex-presidente proclamou-se “o mais honesto deste país. Ipsis litteris:
“Se tem alguma coisa de que me orgulho neste país é não abaixar a cabeça para ninguém, é que não tem neste país uma viva alma mais honesta do que eu. Nem dentro da Polícia Federal, nem dentro do Ministério Público, nem dentro da igreja católica, nem dentro da igreja evangélica, nem dentro do sindicato, nem no meio de vocês. (blogueiros). Pode ter igual. Mais, eu duvido.

Em Zero Hora, 08/02/2.016 Lula se queixa de Dilma sobre o avanço nas investigações. ”O ex-presidente Lula reclama a amigos, nos últimos dias, da ausência de manifestação mais contundente da presidente Dilma Rousseff em sua defesa desde o recrudescimento do bombardeio contra ele. Segundo o jornal Estado de São Paulo, na avaliação de Lula, o Ministério Público deveria coibir “abusos” da Polícia Federal para devassar sua vida e de familiares em investigações.

Em resposta a presidente Dilma (Cor reio do Povo, 15/02/2.016) declarou: “Acho que ele está sendo objeto de grande injustiça. Respeito muito a história do presidente Lula e tenho certeza quer esse processo será superado. Acredito que o país e a América Latina precisam de uma liderança com as características do presidente Lula”.

Palavras criteriosamente escolhidas. Emprestam uma solidariedade implícita e tangenciam cuidadosamente o desconforto de enfrentar as investigações.

Aos que questionam o destaque dados aos malfeitos comparativamente aos dos adversários, deve-se lembrar que a mídia costuma dar ênfase, prioridade, aos fatos e notícias contemporâneos.

O PT nasceu como uma alternativa para combater a corrupção, tanto que se autodenominava “O partido da ética e da moralidade”. Isso até alcançar o poder. E o poder corrompe. Infelizmente. Aliá, o ministro Jaques Wagner declarou – e foi duramente criticado pelos companheiros de sigla: “O PT não estava acostumado a comer melado e se lambuzou”.

Nos causa desesperança a crença pessimista, alicerçada nos fatos pretéritos que, possivelmente, uma troca de comando na próxima eleição pouco significará na essência dos fatos. O que se faz necessário, e urge, é uma mudança radical de critérios e não uma simples troca de personagens.

Renan Calheiros (PMDB)?

Eduardo Cunha (PMDB)?

Os responsáveis pelo escândalo da merenda escolar em São Paulo (PSDB)?

???????????????????????????????

???????????????????????????????

???????????????????????????????

Desvios de conduta são praticados em todos os quadrantes do mundo. O ex-primeiro ministro de Israel Ehud Olmert entrou no centro penitenciário de Ramla para cumprir uma pena de 19 meses de prisão por corrupção. Foi condenado por ter recebido subornos quando era prefeito de Jerusalém entre 2.006 e 2.009. (Correio do Povo, 10/02/2.016)

Essa a grande diferença num país que pratica a democracia a pleno.

Jayme José de Oliveira
cdjaymejo@gmail.com
Cirurgião-dentista aposentado