Os irresponsáveis pela anomia – Por Jayme José de Oliveira

By | 09/09/2015
Jayme José de Oliveira

Jayme José de Oliveira

Os relatos que se seguem refletem o estado de anomia que grassa no país. São diversos, mas o fulcro se origina no fato das autoridades terem adotado uma atitude passiva frente a pequenas, médias e mesmo grandes infrações que ocorrem no dia a dia. Cansados de ver os delinquentes se esgueirarem pelas malhas frouxas da lei os populares acabam reagindo com violência. Se justificável ou não, deixo a critério de cada um (em princípio, sou contra), porém, é inconteste: o copo da tolerância já transbordou e a fúria só tende a exacerbar.

ATÉ AS AUTORIDADES IRRESPONSÁVEIS SE DISPOREM A APLICAR A LEI, NÃO HAVERÁ TRANQUILIDADE. PARA NINGUÉM.

POPULARES LINCHAM SUSPEITO DE FURTO DE VEÍCULO

“Flagrado ao supostamente tentar furtar um carro na avenida Ganzo com a rua Vicente Lopes dos Santos, bairro Menino Deus, um homem identificado como Santiago da Costa de 32 anos, foi agredido e rendido por populares ontem de manhã. Ele foi encaminhado para atendimento no HPS. Costa tem extensa lista de antecedentes criminais: receptações, roubos, furtos, lesões corporais, porte de arma e formação de quadrilha. O primeiro registro policial ocorreu na adolescência”. (Zero Hora, 08/09/2.015)

APÓS ASSALTO, VÍTIMA É FERIDA EM PERSEGUIÇÃO

“Um policial militar e um pedestre foram feridos em tiroteio no Bairro Cidade Baixa. Foram atingidos durante uma perseguição a criminosos que assaltaram o Supermercado Nacional da rua Aureliano de Figueiredo Pinto, na noite de 6ª feira. O estado do empresário Edvino Adamczuka, 49 anos, era grave até as 9 horas de sábado. O empresário passeava com um cachorro quando foi atingido. PMs do 9º BPM vão doar sangue”. (Zero Hora, 06/09/2.015)

Adamczuka não resistiu aos ferimentos. O sangue doado será enviado ao Banco de Sangue.

MANHÃ DE FÚRIA

Morte de um jovem durante ação da Brigada Militar desencadeou revolta popular no Morro Santa Tereza, na Zona Sul. Ônibus e lotação foram incendiados, viaturas apedrejadas e o batalhão de choque foi acionado para acalmar a tensão. Um grupo de oito policiais só conseguiu sair de lá sob escolta da tropa de choque.

A reação popular ocorreu pós a morte de Ronaldo de Lima, 18 anos, em confronto com policiais que o abordaram. De acordo com o relato dos mesmos o jovem teria atirado nos PMs, sem atingir ninguém”. (Zero Hora, 04/09/2.015)

Compreensível a revolta dos moradores que alegam ser o adolescente inocente, injustificável a reação exacerbada que culminou em depredação. A respeito do fato, noticiado em Litoralmania, publiquei um comentário que transcrevo:

“A estupidez humana não conhece limites nem fronteiras, apenas desnuda o quanto os que procedem de acordo com instintos exacerbados deixam de raciocinar com logicidade.

Os maiores prejudicados pelos seus insanos atos são os autores dos vandalismos, seus familiares, vizinhos e a população que depende dos veículos destruídos.

São tão ignorantes que sequer se dão conta que pagarão os prejuízos com o aumento das passagens no próximo reajuste”.

Jayme José de Oliveira – cdjaymejo@gmail.com