Onde está a sua Nárnia? – Por Carolina Chiabott

12/10/2016

laranjaMinha noiva, meu amor, você é como um jardim cercado e fechado; é uma fonte particular.”

Cantares 4:12

            Que pergunta engraçada de se fazer. Onde está a sua Nárnia? Parece que Cristo me jogou essa questão-bomba numa tarde de segunda-feira e eu senti vergonha em saber a resposta que nós dois já sabíamos. Para começar, caso você não saiba o que significa a palavra “Nárnia”, aqui vai a sua origem: No ano de 1950 um homem que de ateu se tornou servo de Cristo foi inspirado a escrever sete livros com o título de “As Crônicas de Nárnia”, onde narra a história de meninas e meninos que eram levados para uma terra mágica, chamada esta de Nárnia. Lá travavam batalhas, conheciam-se a si mesmos, e enfrentavam desafios com a ajuda do grande leão, Aslam, o qual era uma alusão a figura de Jesus Cristo.

            Sempre tive muito apego por esta história. Uma porque: eu amo o modo como Deus conseguiu fazer Lewis escrever uma obra ficcional para falar do amor de Cristo; e duas: porque sempre quis viver em Nárnia.

            Entenda comigo: Os personagens eram como você e eu, nesse mundo caótico e cheio de nervos a flor da pele. Tinham problemas, viviam no meio de uma guerra, e não era nada fácil. A oportunidade de ir até aquela terra mágica, mesmo que se envolvendo em perigos era um refúgio. Lá eles eram Reis e Rainhas, cuidados por um leão que vencia todas as lutas. Criaturas mágicas, bosques, palácios, campos bonitos. Nárnia era inacreditavelmente desejável! E então, na medida em que me relacionei com o Espírito Santo, Ele na sua sabedoria usou aquelas histórias para me explicar sobre a vida.

            Havia um lugar físico, numa cidade que eu gosto muito onde eu encontrei Jesus de verdade. Foi num treinamento durante o verão, de evangelismo, vinte dias numa chácara. E lá tive minha vida restaurada e transformada para sempre. Lembro-me bem quando eles chamavam aquele tempo e espaço de exatamente: Nárnia. Você podia conhecer o verdadeiro Aslam lá, conhecer a Deus! Ser você mesmo, sentir uma liberdade maluca e se afogar no amor de Cristo.

            Era insano demais.

            E me apeguei a isto. Inconscientemente Nárnia era aquele lugar, e por mais que eu estivesse pronta a sair um dia de lá e voltar para a minha vida corriqueira, parecia que eu nunca mais encontraria um lugar especial onde eu pudesse sentir Deus daquela mesma forma. Nárnia era um lugar físico para mim; e sair de lá, ir para outra cidade, outro país significava nunca mais me sentir daquela forma. Era o que eu pensava até terminar meu suco naquela sorveteria numa segunda-feira a tarde.

            Onde está a sua Nárnia?

            Quando quis escrever esse texto pensei sobre o que tinha acontecido comigo, e sobre porquê esta passagem de Canticos parecia gritar no meu peito. Conversando com um de meus primos neste mesmo dia, ele me explicou o que tinha acontecido. Era como se eu tivesse deixado “Nárnia”, e tivesse posto um pouco daquela água que bebi em Cristo naquele tempo, e tivesse trazido comigo. Porém, o falhar do dia a dia, a fadiga, a tristeza, as decepções e problemas não seriam saciados por uma garrafa de água, e a água de Nárnia estava acabando.

            Foi então que o Espírito Santo me disse: Nárnia não é um lugar físico. Nárnia sou eu e você, juntos. Independente do lugar, independente da situação, independente do tempo; você sempre vai encontrar este lugar secreto em mim, e comigo.

            Nossa!

            Onde está a sua Nárnia?

            Em Cânticos, vemos uma metáfora também, na vida de Salomão e sua mulher Sulamita. Versos de amor que traduzem o amor de Cristo para a sua igreja, ou seja: eu e você! Quando o noivo diz que ela é o seu jardim cercado e fechado, fonte particular ele está se referindo a você! E nós não somos um prédio, o nosso espírito não vai ruir, não vai se acabar, nós somos feitos para sermos eternos. O que me leva a pensar que nós somos a própria Nárnia, o próprio jardim do nosso Aslam, do nosso Jesus Cristo.

            Onde está a sua Nárnia?

            Quero enfatizar, e se você não entendeu nada desse texto doido com citações diversas então fique com isto: há um lugar que você pode construir, um lugar secreto seu e do Senhor. Um lugar de paz e calma. Um jardim bonito e cuidado por Ele. Uma terra particular onde você pode ser quem você é, senti-lo falar contigo e ser rondado por amor e graça diariamente. E esse lugar não fica preso em prédios, não fica preso em reuniões, não fica preso somente em momentos. Ele pode ser aonde você quiser. Seja dentro do seu quarto, seja no meio da rua, seja numa fila de banco. A única coisa que devemos fazer é pedir, para que Ele venha para este jardim cercado e fechado e nos transforme em Sua Nárnia.

            Acredito tanto nisto. Acredito que você pode encontrar com o Papai a qualquer hora, em qualquer lugar. Ele morreu naquela cruz para isto! Pra te dar liberdade a se achegar a Ele! Então não o limite! Não estagne territórios para o agir do Espírito Santo! Faça de você uma Nárnia, faça de você um jardim para que Ele habite, e o relacionamento se aprofunde. Então vão vir as experiências, suas aventuras com Ele. E quando chegar aquele dia, onde nós nos encontraremos com ele, teremos o prazer de já conhecê-lo, e apenas continuar o nosso eterno encontro.

            Onde está a sua Nárnia? A minha eu encontrei em mim mesma, numa segunda-feira a tarde e a partir de agora o tempo todo também.

Carolina Chiabott nasceu em 1995 em Porto Alegre – RS e cresceu numa prainha titulada de Tramandaí. Recém formada em missões transculturais no CTM Vayikrá, tem o sonho de usar a escrita pra anunciar no mundo os ensinamentos de Cristo em formato de ficção juvenil.  Tenta combinar sua paixão por escrever com todo o tipo de arte existente, não atrasar as séries e ser uma boa filha.