O critério de Jesus é a misericórdia – Por Dom Jaime Pedro Kohl

09/06/2016

IMG_1180-195x300111111111“Sede misericordiosos como o vosso Pai é misericordioso” (cf. Lc 6,36) é uma síntese do jeito de ser de Deus que Jesus convida a imitar. Logo antes falou de amar os inimigos, perdoar a quem nos odeia, porque se amamos somente os que nos amam não fazemos nada de extraordinário, também os pecadores fazem o bem esperando receber em troca.

Na sequência, Jesus realiza dois milagres que revelam a sua misericordiosa e compaixão: a cura do servo do centurião e a ressurreição do único filho da viúva de Naím que meditamos nos domingos passados.

Com a acolhida do gesto de gratidão da mulher pecadora na casa do fariseu que o convidou para uma refeição como escutamos no evangelho deste domingo, Jesus mostra não só de não discriminar ninguém, mas que goza de uma liberdade que lhe vem do fazer misericordioso de seu Pai, que todos acolhe e convida a conversão.

Jesus entrou na casa do fariseu, se pôs a mesa com vários tipos de pessoas. Uma mulher conhecida na cidade como pecadora, mesmo sabendo-se indesejada pelo anfitrião, aproxima-se do convidado especial, se põem aos seus pés, começa a lavá-los com suas lagrimas, enxugá-los com seus cabelos e derramando perfume sobre eles os beija. Algo muito incomum e questionado pelos presentes.

O perfume do amor deixa os presentes escandalizados e maquinando dentro de si juízos sobre a sabedoria e a identidade de Jesus. Certamente, eles não eram movidos pela misericórdia, mas unicamente pelo legalismo preconceituoso que classificava as pessoas pelas aparências.

Jesus olha as pessoas com critérios diferentes daqueles dos escribas e fariseus. O critério de Jesus aparece no texto que segue: “Certo credor tinha dois devedores; um lhe devia quinhentas moedas de prata, o outro, cinquenta. Como não tivessem com que pagar, o homem perdoou aos dois. Qual dos dois o amará mais?” Simão respondeu: “Acho que é aquele ao qual perdoou mais”. Jesus lhe disse: “Tu julgaste corretamente”. Estás vendo essa mulher? Os muitos pecados que ela cometeu estão perdoados porque ela mostrou muito amor. Aquele a quem se perdoa pouco, mostra pouco amor”.

O critério mais importante para Jesus, independente da gravidade do pecado, é o AMOR. Mesmo sem ela pedir perdão, Jesus disse-lhe: “Teus pecados estão perdoados. A tua fé te salvou. Vai em paz!”.

A grande satisfação do confessor é poder despedir o penitente com a boa notícia: “Deus te perdoou, vai em paz!”

Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo de Osóriodomjaimep@terra.com.br