Magistério: mulheres são presas por extorsão após realizar sequestro

Policiais da 1ª Delegacia de Polícia de Repressão a Roubos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DR/DEIC), da Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Sul, em continuidade da Operação Liberdade, no final da tarde dessa quinta-feira (08) efetuaram a prisão de duas mulheres, mãe e filha,  na praia de Magistério, em virtude de prisão preventiva decorrente da prática do delito de extorsão mediante sequestro, ocorrido no dia 02 de agosto de 2016, no município de Triunfo, quando, aproximadamente, três indivíduos encapuzados, portando armas, colocaram a vítima, um adolescente de 18 anos, em um carro, levando-a para um cativeiro.

Na sequência, passaram a exigir uma quantia em dinheiro de familiares, a título de resgate, para que a vítima fosse libertada. Cabe mencionar que as mulheres presas no dia de 08 tiveram papel fundamental para a prática do crime de extorsão mediante sequestro, pois, além de monitorar a vítima, possibilitando o arrebatamento, ficaram responsáveis por verificar a movimentação da família quando outros integrantes exigiam dinheiro para a libertação da vítima.

Além da ação ocorrida no dia de 08, policiais da especializada realizaram, no dia 04/08/16, a prisão de dois homens, na cidade de Canoas, os quais estavam na posse do carro, utilizado no arrebatamento, bem como do telefone da vítima. Depois da prisão dos referidos suspeitos, também no dia 04, foi possível a localização do cativeiro, onde a vítima estava em cárcere, em uma residência situada em Montenegro. Ao chegar no local, os policiais conseguiram resgatar a vítima em um dos cômodos do imóvel, oportunidade em que se realizaram a prisão de duas pessoas,  de 21 e 25 anos, os quais estavam armados com um revólver calibre .38.

Durante as investigações criminais, apurou-se que um detento do Presídio Central de Porto Alegre, de 31 anos, era o mentor intelectual da extorsão mediante sequestro, inclusive tendo realizados diversos contatos telefônicos com familiares da vítima, com o objetivo de conseguir dinheiro para libertá-la. Outro indivíduo, também responsável por monitorar a vítima e familiares  está foragido da Justiça, pois não foi localizado na ação policial desencadeada na última quinta-feira (08).

Segundo os Delegados Joel Henrique Wagner e João Paulo de Abreu, a ação desenvolvida é resultado do monitoramento permanente de organizações criminosas que atuam no Estado do Rio Grande do Sul relacionados à prática de crimes contra o patrimônio, no caso, extorsões mediante sequestro.

O Diretor de Investigações do DEIC, Del. Sander Cajal destaca que a Operação Liberdade é parte do planejamento estratégico da referida especializada, a qual realiza investigações permanentes quanto aos delitos de extorsão mediante sequestro, com o objetivo de reprimir tal conduta criminosa, consideradas uma das mais graves do Código Penal Brasileiro. Os presos serão encaminhados ao sistema prisional, ficando à disposição da Justiça.