Inicia Operação Viagem Segura de Páscoa

02/04/2015
Reforço na fiscalização se estende até domingo de Páscoa - Foto: Eduardo Seidl/Arquivo Palácio Piratini

Reforço na fiscalização se estende até domingo de Páscoa – Foto: Eduardo Seidl/Arquivo Palácio Piratini

A 41ª edição da Operação Viagem Segura para o feriado de Páscoa tem início à zero hora desta quinta-feira (2) e se estenderá até a meia-noite de domingo (5). A intensiva na fiscalização ocorre juntamente com campanha educativa, que aposta em uma mensagem de impacto para alertar sobre os principais fatores de risco nas estradas.

O feriadão de Páscoa é mais violento que a média dos feriados prolongados do ano, considerando-se os dados de 2007 a 2014. Com média de 7,1 mortes por dia, a Páscoa fica acima da média de 6,7 mortes/dia nesses oito anos. Na Páscoa de 2014, foram 27 vítimas fatais em cinco dias de operação (média de 5,4 por dia).

É importante notar que esses são os dados consolidados após 30 dias de acompanhamento dos feridos nos acidentes e que foram a óbito no período. Trata-se de protocolo internacional, preconizado pela Organização Mundial da Saúde.

A análise dos dados estatísticos demonstra que a maioria dos acidentes nos feriados de Páscoa ocorreu no primeiro dia do feriadão (7,4 mortes/dia) e no turno da noite. Cerca de 64% das ocorrências fatais ocorreram nas rodovias. As estradas que concentraram o maior número de mortes foram a BR 386 (17), BR 116 (12), BR 290 (12), RS 287 (9), RS 453 (8), RS 030 (7) e RS 400 (7).

Sobre a Viagem Segura

A Operação Viagem Segura tem como principais parceiros a Brigada Militar e o Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Detran/RS e Polícia Civil. Também colaboram órgãos de trânsito municipais (EPTC na Capital), Cetran/RS e Famurs.

As 40 edições da Viagem Segura contabilizam mais de 3,5 milhões de veículos fiscalizados e 87,8 mil testes de etilômetro. Foram registradas 534 mil infrações, sendo mais de 10 mil autuações por embriaguez. A fiscalização também recolheu 49,6 mil veículos e 14,2 mil CNHs.

Os órgãos de fiscalização contam com a ajuda da comunidade para alertá-los sobre condutas perigosas nas estradas. O contato pode ser feito pelos telefones de emergência da PRF (191), nas estradas federais, e do Comando Rodoviário da BM (198), nas estradas estaduais.

Eunice Gruman/Detran