Empate em votação arquiva pedido de cassação do prefeito de Osório

16/02/2016

12506749_915496351867102_1793850918_nA primeira sessão da Câmara de Vereadores foi bastante quente na noite dessa segunda-feira, em Osório.

A pauta principal girava em torno do pedido de cassação do prefeito Eduardo Abrahão. A oposição (PMDB) tentou impedir que o vereador Gilmar Luz (PDT) pudesse votar por ser parte do processo, Rossano Teixeira (PP), pelo parentesco com o prefeito, ele é cunhado de Abrahão e Valério dos Anjos, servidor público que está na ativa.

Para isto foi protocolado um requerimento com pedido de urgência que só seria validado em caso de unanimidade, o que não ocorreu já que os vereadores do PDT se posicionaram contra.

Na votação deu a lógica com a situação optando pela não abertura do pedido de cassação: Belinha PDT – Lelly PDT – Rossano Teixeira PP e  Valério dos Anjos PDT. Na oposição foram a favor: Bianca Meregalli PMDB – Ed Moraes PMDB – Lucas Azevedo PMDB e Roger Caputi PMDB.

Como o jurídico da casa entendeu que para prosseguir o processo haveria necessidade de pelo menos dois terços dos votos, o pedido de cassação do prefeito acabou arquivado pelo Legislativo.

Com mais de mil páginas anexadas, as denúncias tratam de supostas irregularidades em pagamentos realizados a uma empresa no verão de 2013. O pedido foi feito pelo morador de Atlântida Sul, Helio Bogado, na época CC, um cargo de confiança da prefeitura.

O Ministério Público segue investigando as denúncias.

Redação Litoralmania