Delegado diz que pedirá proibição de Pokémon Go, caso confirmada morte de menino por uso do aplicativo

09/08/2016

Sem títuloO celular do amigo que acompanhava Artur Bobsin Ferreira, nove anos, que morreu afogado na Lagoa do Armazém nesta segunda-feira, em Imbé, passará por uma perícia.

Segundo o Delegado Antônio Carlos Ractz, a versão de que os jovens estariam jogando Pokémon Go constou no histórico da ocorrência de falecimento, registrada pela Brigada Militar.

No entanto, no aparelho celular do menino entregue as autoridades, em um primeiro momento não foi localizado o jogo. Não haverá responsabilização criminal, adianta o Delegado Ractz, por se tratar de duas crianças, mas o resultado final do inquérito poderá ter medidas duras contra o jogo. (veja vídeo abaixo)

– Se eventualmente estivessem fazendo o uso deste aplicativo e que teria causado a morte, considero isto um fato grave, que se for confirmado pretendo ingressar com medida Judicial para que este jogo seja proibido, até porque se tem notícias que este jogo já causou vários acidentes, afirmou o delegado

O caso registrado na Delegacia de Polícia

No dia 08/8/2016, por voltas 15h, na Rua Torres, Bairro Courhasa, em Imbé, Artur e um amigo, ambos de 9 anos de idade, brincavam na rua e foram até as margens do Rio Tramandaí, nas proximidades, onde embarcaram em dois caícos. Artur não sabia nadar e afogou-se. Tal versão foi colhida junto ao menino sobrevivente, na presença de seus pais.

Contudo, nas redes sociais e nos meios de comunicação, foi amplamente noticiado que as crianças jogavam o game “Pokémon Go” e entraram no rio para caçar “pokémons”. Inclusive, tal informação constou no histórico da ocorrência de falecimento, registrada pela Brigada Militar.

A mãe de Artur negou que o filho possuísse telefone. A  do outro jovem negou que eles estivessem jogando o referido aplicativo em seu smartphone, sequer instalado.

Tal smartphone, da marca Alcatel, modelo “One Touch Pixi”, no qual não está instalado o aplicativo, foi arrecadado pela autoridade policial e será submetido à perícia.

A Polícia Civil instaurou inquérito policial para esclarecer os fatos.

Veja vídeo da entrevista com o Delegado