Defesa Civil monitora situação de municípios afetados pelas chuvas no Rio Grande do Sul

Na Fronteira Oeste há um significativo aumento do nível dos rios - Foto: Major Porto/ Defesa Civil

Na Fronteira Oeste há um significativo aumento do nível dos rios – Foto: Major Porto/ Defesa Civil

Equipes de Defesa Civil estão nos municípios afetados pela chuva que ocorre no Rio Grande do Sul desde a última terça-feira (26). Até o momento nenhuma ocorrência de vítimas foi registrada. Porém, o monitoramento é constante nas regiões onde há previsão de chuva intensa ainda durante esta quinta-feira (28) e a sexta (29). Conforme o Centro de Operações 24h de Defesa Civil (Codec), que trabalha em conjunto com centros meteorológicos e universidades, a área de instabilidade permanece sobre a faixa leste até o Sul do estado. Na Serra, na Campanha e na Região Central o sol pode aparecer entre nuvens, e a chuva é mais fraca. Na Região Oeste, o tempo fica seco.

A Defesa Civil, portanto, se mantém em alerta em relação ao Nordeste gaúcho, especialmente entre Porto Alegre e o Litoral Norte, onde ainda há risco de intensas precipitações e fortes rajadas e vento. Coordenadores regionais estão monitorando a situação nas localidades mais afetadas, como Caraá, que suspendeu as aulas desta quinta-feira (28), devido à dificuldade de acesso dos alunos por conta de alagamentos.

Em Tramandaí e Terra de Areia há alagamentos em locais isolados; Sertão Santana e Barra do Ribeiro, a cheia do arroio do Ribeiro causou danos em cabeceiras de pontes, ocasionando bloqueio na BR-116, que já foi liberada; Tapes registra pontos de alagamentos e pessoas desalojadas; e no distrito de Nova Guaíba, em Guaíba, também registro de alagamentos isolados.

Em Barra do Ribeiro e Tapes, está uma equipe de Defesa Civil para apurar os danos, bem como auxiliar os afetados, caso haja necessidade. A Defesa Civil do RS também está atenta ao nível dos rios na Fronteira Oeste, onde há um aumento significativo do nível do rio Uruguai dos rios e bacias da Região Metropolitana, Taquari-Antas, Vale do Caí e do Guaíba. “Estamos monitorando a situação, com as equipes estaduais dentro dos municípios, e oferecendo toda ajuda necessária aos órgãos de segurança das localidades atingidas. Qualquer informação ou pedido de auxilio pode nos ser encaminhado pelo telefone 199”, ressaltou o tenente-coronel Alexandre Martins de Lima, subchefe de Defesa Civil do Estado.

Bruna Staub

banner_rodeio_especial_noticias