Crianças guaranis são batizadas em roda de Capoeira em Torres

indioscapaVinte e cinco crianças guaranis, da Aldeia Nhu-Porã, localizada no bairro Campo Bonito, participaram nesta segunda-feira, 14 de dezembro, da cerimônia de batizado em capoeira. A atividade é frequentada pelos índios, por meio de projeto do Centro de Referência e Assistência Social, da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, com o Grupo de Capoeira Luanda, com 18 anos de vida em Torres. O evento ocorreu nas dependências da Escola Estadual Indígena de Ensino Fundamental Nhu-Porã que conta com um total de 35 alunos. Para padrinhos foram chamados colaboradores da Aldeia, de diferentes áreas, a maior parte do setor público.

“Gosto do movimento e da música”, diz Marcos Vinícius, 8 anos, aluno do segundo ano, quando indagado sobre o porquê de fazer capoeira. De acordo com a diretora da Escola, Rita Stamm, capoeira significa mata rasteira em guarani e por aí já começaria uma identificação com os indígenas, comenta. Ela agradeceu a oportunidade da Escola ser contemplada com o projeto.

Durante a tarde ocorreram muitos jogos de capoeira. Todos os capoeiristas mirins tiveram oportunidade de mostrar a sua ginga e também de assistirem rodas com o mestre Cipriano e de contramestres como Rodrigo Leandro Meletti. A energia dos movimentos e a musicalidade dos jogos contagiavam as crianças.

Foi com o propósito de incentivar e contribuir para o sucesso do projeto de capoeira de rua, é que os padrinhos colocaram o cordão na cintura dos participantes, alunos a partir do primeiro ano escolar. O cordel significa a primeira graduação e é de cor vermelha, simbolizando sangue derramado pelos escravos, explica o contramestre Meletti. O evento foi bastante prestigiado por colaboradores da Aldeia. Entre os padrinhos estavam representantes da Emater de Torres, como a agrônoma Elisa Braga Saraiva, a extensionista do bem-estar social, Sonia Regina da Cruz, e da Secretaria Municipal de Cultura e do Esporte, a diretora de Cultura, Débora Fernandes; o diretor de Esportes, Rafael Silveira, entre outros.