Comercialização de peixes na Semana Santa deve ultrapassar 3.200 toneladas no RS

01/04/2015
GD_20140502102602pesca6154cd150312

Foto: Camila Domingues/Palácio Piratini/Arquivo

O volume de peixes comercializado durante a Semana Santa, iniciada no último Domingo de Ramos (29) e que se estende até o Domingo de Páscoa (5), deve ser de 3.224 toneladas. O levantamento foi feito pela Emater/RS-Ascar e envolveu 390 dos 494 municípios gaúchos das 12 regiões administrativas da instituição.

“Englobamos, neste levantamento, apenas os produtores que atendemos”, afirmou o assistente técnico estadual em Piscicultura e Pesca da Emater/RS-Ascar, Henrique Bartels.

Comparado com a Semana Santa do ano passado, houve uma redução do volume de peixes a ser comercializado, passando de 3.268.067 kg para 3.224.217 kg, uma redução de 1,3%, muito embora o número de escritórios informantes também tenha diminuído, passando de 418 para 390. Quando comparado com o preço praticado em 2014, o aumento foi de 5,8% (de R$ 9,13 para R$ 9,66 o kg).

Em todo o Estado, são realizadas, neste período, 347 feiras, e há comercialização de peixes em outros 5.605 locais, como pesque-pague, nas propriedades dos criadores, na residência do pescador, na beira da praia, na beira do rio e por ambulantes.

Seja inteiro, eviscerado ou filé, entre os peixes de água doce, são comercializados bagre, carpas, dourado, grumatã, jundiás, linguados, piavas, tilápias e violinhas. Já entre os de água salgada, estão abrótea, covina, papa-terra, sardinha, tainha, viola e camarão.

“Dos peixes de água doce, que são a maioria, a maior comercialização é de carpas, com 70% de vendas”, destaca Bartels, ao citar, como segundo maior consumo, a tilápia, com 12% de vendas.

Adriane Bertoglio Rodrigues