Começa em Torres a instalação de guaritas de salva-vidas

09/12/2016

guaritaA orla torrense já conta com guaritas instaladas no trecho compreendido entre a Praia dos Molhes e a Praia da Guarita. Conforme o major Jeferson Ecco, comandante do 3º Subgrupamento de Salva-Vidas do Corpo de Bombeiros, três praias em Torres também já contam com a atuação dos salva-vidas nos fins de semana, entre sexta e domingo. São elas: Praia Grande, Cal e Guarita. Toda a orla receberá 20 guaritas, no perímetro que vai dos Molhes até a Praia Paraíso, seguindo o cronograma da Operação Golfinho que este ano será lançada em âmbito estadual no sábado, 17 de dezembro.

O salvamento prestado nestas três praias ocorre das 8h30min às 18h30min e faz parte do treinamento realizado em Torres desde o dia 14 de novembro. Conforme o major responsável pelo treinamento dos salva-vidas em Torres, as guaritas do nosso município são consideradas de boa qualidade. Todos os anos são retiradas devido o período de praia ser restrito entre dezembro e março. Para a temporada de 2017, os reparos são realizados pela VCA Maggi, vencedora de processo licitatório.

O major explica que existem polos de treinamento em Torres, Capão da Canoa, Tramandaí, Cidreira, Cassino e Porto Alegre. Do polo de Torres sairão os salva-vidas para atuarem em nosso município e em Arroio do Sal. A partir do fim de semana 10 e 11 de dezembro, o salvamento não oficial dos salva-vidas será ampliado para outras praias, diz o major.

O comandante lembra que a nossa orla possui características geográficas peculiares em comparação com o restante do litoral gaúcho. Recomenda mais atenção por parte da população, explicando que principalmente na Praia da Cal, um dos locais de maior número de salvamentos do Estado, a areia acumulada sobre as pedras e a corrente de água em direção à rebentação, acabam criando uma espécie de vala, gerando um quadro difícil para o banhista inexperiente. No caso de qualquer dúvida em relação ao mar, o banhista deve esclarecer com o salva-vidas, ressalta, finalizando com um dizer popular, de que “água no umbigo é sinal de perigo”.