Calor e chuva devem marcar últimos dias do ano, diz MetSul

19/12/2016

Ar tropical quente, úmido e instável começou a ingressar no Rio Grande do Sul hoje após o período seco e ameno trazido por uma massa de ar frio de forte intensidade para o mês de dezembro. A manutenção desta massa de ar quente terá como consequência um período favorável à instabilidade que deve marcar o restante deste mês. Hoje, o sol de novo predominou no Estado, mas já ocorreram pancadas de chuva isoladas típicas de verão, sobretudo na Serra. Neste domingo, o sol aparece com nuvens na maioria das regiões do Estado, mas em alguns pontos já chove de manhã. Entre a tarde e a noite são esperadas pancadas de chuva na maior parte do Estado, apesar da distribuição irregular da chuva.

Como a temperatura está e seguirá alta, pontos localizados podem ter nuvens carregadas capazes de provocar chuva intensa de curta duração e até temporais isolados de vento forte e granizo. Setores da Serra já tiveram pancadas fortes isoladas neste sábado à tarde. Entre segunda e a terça, áreas de baixa pressão irão aumentar a instabilidade com muitas nuvens e pancadas de chuva nos dois dias no Rio Grande do Sul, em alguns pontos de forte intensidade e com risco de vendavais e granizo em pontos isolados.

Modelos numéricos analisados pela MetSul Meteorologia indicam que entre quarta-feira e a véspera de Natal, apesar de períodos com sol e calor, a atmosfera seguiria com altos índices de instabilidade com freqüentes pancadas de chuva e temporais isolados, alguns isoladamente fortes, no território gaúcho. Projeções numéricas de até 15 dias indicam que na última semana do ano esse padrão atmosférico de tempo quente e úmido persistiria no Rio Grande do Sul, o que manteria a alta frequência de pancadas de chuva com temporais de verão no Estado.

Obviamente que esse padrão de maior instabilidade que pode durar até o fim do ano não significa tempo fechado e chuvoso o tempo todo. Haverá alguns dias com nebulosidade abundante e chuva mais persistente em algumas cidades, mas a regra será sol e calor com pancadas de chuva, especialmente em horas da tarde e noite, quando o maior aquecimento diurno favorece a formação de nuvens de desenvolvimento vertical que trazem precipitação e tempestades localizadas. Já o calor e o abafamento devem ser a condição predominante até o fim do ano sem previsão de um novo pulso de ar frio, como o da última semana, afinal é verão. (Meteorologista Estael Sias)

MetSul