Audiência no Fórum trata da crise da saúde no Hospital de Torres

01/07/2015

juiz um_448x336Até o fim do ano, o Hospital Nossa Senhora dos Navegantes poderá realizar exames de imagens e de laboratório para Torres e outros seis municípios atingidos pela suspensão do atendimento de baixa complexidade por parte da instituição. Esta foi a proposta apresentada nesta terça-feira, dia 30 de junho, durante audiência conciliatória realizada no Fórum de Torres promovida pelo juiz doutor André Sühnel Dorneles entre representantes do Hospital e dos municípios. Também nesta audiência foi encaminhada a criação de um consórcio entre as Prefeituras para melhor estruturação de um Pronto Atendimento.

Apesar de alguns apelos manifestados na audiência, a direção do Hospital foi categórica, não tem interesse em continuar com o atendimento de baixa complexidade. Diante da situação, o juiz doutor André, da 1ª Vara, e o promotor doutor Márcio Roberto Silva de Carvalho, autor da ação que solicitou prazo de 90 dias, manifestaram a necessidade dos municípios se organizarem em conjunto e viabilizarem um saída para a crise a fim da população não ficar desassistida. Inicialmente, o juiz concedeu dez minutos para todos os envolvidos se manifestarem sobre a situação. Em seguida, a audiência partiu para os encaminhamentos.

Participaram da audiência, prefeitos, secretários de Saúde, corpo técnico das Secretarias e assessorias jurídicas dos municípios de Torres, Arroio do Sal, Dom Pedro de Alcântara, Mampituba, Morrinhos do Sul, Três Cachoeiras e Três Forquilhas. De Torres estavam presentes, o prefeito em exercício, Ildefonso Brocca, o secretário de Saúde, Mauro Martins de Almeida, a procuradora Naiara Matos, o presidente da Câmara de Vereadores, Gibraltar Vidal, vereador Dê Goulart, entre outros. Do Hospital, estavam a diretora executiva, Irmã Teresa Giacomin; o gerente administrativo, Ademar Marcelo Soares; o diretor médico Victor Hugo e os advogados Eliana Herzog e Fernando Chiapin.

A união dos sete municípios foi defendida pelo promotor doutor Márcio com a finalidade de resoler o impasse. Após a manifestação dos representantes dos municípios ficou claro que a questão financeira é a grande dificuldade. Os técnicos de Morrinhos do Sul, por exemplo, vão avaliar a possibilidade do município vincular-se ao hospital de Praia Grande, mais próximo do que o Pronto Atendimento a ser estruturado em Torres. Nesta quinta-feira, 2 de julho, nova reunião será realizada no Fórum entre os secretários de Saúde destes municípios e seus corpos técnicos para em dois ou três dias apresentarem encaminhamentos para o juiz e promotor.

Neste próximo encontro os municípios devem tratar da participação financeira de cada Prefeitura, que deverá ser proporcional à sua população. Também será avaliado o custo com a prestação de serviço dos exames de imagens e laboratórios por parte do Hospital até o fim do ano, enquanto o atendimento médico for prestado no Pronto Atendimento de Torres. Em sua fala, o prefeito em exercício Ildefonso Brocca manifestou preocupação e interesse de que o tema tenha um encaminhamento positivo e rápido, colocando a Prefeitura à disposição para o bom atendimento da população de Torres e região.