A transformação causa inveja – Por Renato Eduardo

17/10/2016

13318999_1003286806421389_747723222_n-200x300Há um tempo atrás, quando minhas duas primeiras filhas eram pequenas, eu e minha esposa resolvemos ensiná-las sobre administração e finanças. Para isso, fizemos um galinheiro e arrumamos umas 20 galinhas poedeiras, foi uma grande aventura! Todos os dias tirar os ovos, colocar ração, água e os demais cuidados que envolviam a tarefa.

Num certo dia, uma das galinhas resolveu fugir e foi para o pátio do vizinho aventurar novos horizontes. Lá ela  ficou por um tempo que não me lembro, um dia ou dois talvez, mas logo voltou para o convívio com suas “amigas”.

Naquela época algo aconteceu que marcou nossas vidas e até hoje, depois de anos passados, nos lembramos.

Aquela que ousou sair do quadrado, do galinheiro, da mesmice do pátio e ir se aventurar em outros lugares, correr em busca dos seus sonhos, se desafiar em novas possibilidades, quando voltou, foi rejeitada pelas outras, julgada e condenada, a ponto de que se deixássemos junto com as outras, era espancada. Ganhou tantas bicadas, que seu pescoço ficou depenado, e a apelidamos carinhosamente de “pescocinho”, era uma tristeza para minhas filhas aquela situação.

Hoje, percebo que aquela atitude ousada de buscar novos caminhos, de sair do quadrado, de correr atrás dos sonhos, não é bem vista por aqueles que permanecem no “galinheiro”, tenho visto esta situação se repetir por várias vezes e com pessoas das mais diversas. A mudança causa inveja, julgamentos e até em certos casos, agressão.

Não conduza sua vida com medo dos julgamentos daqueles que permanecem nos seus quadrados. Seja ousado! Busque ser transformado numa pessoa melhor, com novas expectativas e experiências.

O ano está caminhando para o seu ocaso, mas ainda dá tempo de reagir, ainda dá tempo de correr, ainda dá tempo para uma aventura, rumo aos seus sonhos.

Ainda dá tempo de investir no seu crescimento, de buscar aquela transformação, que te dará condições de vivenciar aquilo que está na lista das possibilidades e que vai ficando sempre para terceiro e quarto lugar, e acaba nunca alcançado.

Tente, seu eu de amanhã irá agradecer ao seu eu de hoje.

Daqui um ano, você irá se arrepender de não ter iniciado agora!

Até a próxima.

Te vejo no topo!

Renato Eduardo.